Sazón é Amor!

No dia 9/11/2011, aconteceu um evento incrível, para blogs de Culinária realizado pela Sazón! E nunca ficou tão claro pra mim esse efeito do “Amor”, como nesse dia!

Tudo foi pensando com tanto carinho, que fez com que eu me sentisse muito especial!

Começando pelo local! O evento foi realizado na Casa Electrolux, no piso superior, onde fica uma cozinha linda! A casa inteira é maravilhosa, lá você pode ver, testar e até comprar os produtos da Electrolux!

Quando subimos para a cozinha, tivemos um tempinho pra bater um papo, falar sobre os blogs, trocar dicas, muito bacana.

Depois começou a aula, que além das receitas maravilhosas, nos ensinou novas formas de usar o Sazón, tanto o tempero, quanto o caldo em pó! Eu, que já sou fã do produto, fiquei muito entusiasmada e confesso que desde a aula eu já utilizei várias dicas aqui em casa, aos poucos vou passando pra vocês!

As receitas que aprendemos foram:Sazón

BATATINHAS COM PATÊ DE SAZÓN®

Ingredientes

•   300 g de batatas-bolinha cozidas e cortadas em quatro partes
•   2 sachês de Tempero SAZÓN® Amarelo
•   1 colher (sopa) de manteiga sem sal
•   meia xícara (chá) de maionese (100 g)
•   1 colher (chá) de cebolinha-francesa picada

Modo de Preparo

Em um recipiente pequeno, coloque a batata e 1 sachê de Tempero SAZÓN®, e misture delicadamente.

Em uma frigideira, coloque a manteiga e leve em fogo alto para derreter. Junte a batata e salteie, aos

poucos, por 3 minutos, ou até dourar.

Escorra em papel-toalha e espete os pedaços de batata em palitos de dente.

Em uma tigela pequena, coloque a maionese, a cebolinha e o Tempero SAZÓN® restante, e misture até

que fique homogêneo.

Sirva acompanhando as batatas.

Rendimento: 6 porções

Tempo de preparo: 20 minutos

Dicas

1. Sirva o patê acompanhando torradas.

2. Substitua o Tempero SAZÓN® Amarelo pelo de sua preferência.

Continue lendo »


Macarrão Alho e Óleo, o retorno

Deixaaaaaaaaaaaa de lado essa tristezaa, beijaaaaa, afasta esse tormerto!!! Parananababa!!

Olá queridos,

Calma, não é o terra letras e sim a coluna da cozinheira inexperiente. É que estou sozinha, super à-vontade e hoje vou fazer tudo do meu jeito, pois o espaço é só meu. E tudo com muita música alta que minha mãe odeia, mas e daí né, ela nem vai estar aqui para ver e muito menos entrar na internet para ler. Adoraria me fotografar para dividir com vocês o meu momento, mas preciso conservar minha dignidade, a pouca que ainda tenho. (risos)

Pois bem, o que me cabe aqui hoje é fazer algo que ficou tãooo bom que a dona da cozinha me mandou fazer tudo de novo. Macarrão alho e óleo.

Pra começar botei água para ferver, 1 L gente, tem que ser assim, não tem jeito.

Depois de fervida a água tentei adivinhar o que seria 100 gramas de macarrão, não tem jeito, também tem que ser assim, e mais, o tipo do macarrão ajuda muito, hoje, nada de telha na cabeça.

Só lembrei do sal e do fio de óleo na hora de adicionar o macarrão cru na água, fui provar o sal e queimai a língua pois esqueci que a água tinha já fervido, mas tava tão quente aqui que meu corpo reconheceu como natural. (risos)

Nada de cozinhar o macarrão eternamente como eu fiz da primeira vez que deixei o dito cujo cozinhando praticamente até hoje, descobri um tempo que eu considero como legal: de 8 a 10 minutos no máximo.

Refoguei três dentes de alho em aproximadamente três colheres de óleo, ainda fico um pouco tensa nesta hora pois nunca me esqueço do arroz que fiz e que deixei o alho queimar todinho, essa parte é crucial na hora do sabor. O lance do macarrão alho e óleo é que até então eu não sabia é que não é necessário fritar o macarrão, o ideal é adicioná-lo na panela e ir mexendo devagar para este pegar o tempero como um todo e não ficar mexendo ele loucamente igual quando você tá fazendo carne moída saca?


Bem, mais apresentável que o primeiro ficou com certeza, o tempero tá bom, não comi com queijo ralado porque a dona da cozinha disse que isso poderia ser um disfarce para o sal, ou melhor, para a falta dele.

A panela ficou assim no final, o que acham? Ainda queimo o alho? Ou é assim mesmo?

Talvez mais experiente, porém ainda muito aprendiz…

Trilha sonora: http://letras.terra.com.br/pedro-mariano/72433/


Carne com Batatas (Picadinho)

 

 

Buenas povo…

Fim de semana com as crianças é sinônimo de comida de verdade e até meio saudável. Fazer o que né…

Apesar de já estarem estragando meu filho com besteiras (às vezes estrago também), tento não fazer isso. Como ainda não dá para estragar a minha menina e a mãe dela não mandou a comida dela, tive que fazer algo bom para os dois.

Mas aí bateu aquela preguiça… Tinha que achar algo rápido e fácil…

Ai surgiu a Carne com batata e cenoura

  • óleo suficiente para cobrir o fundo da panela
  • 1 kg de coxão mole em cubos
  • 4 dentes de alho amassados
  • 1 cebola picadinha
  • 1 tabletes de caldo de carne
  • 1/2 kg de batata descascada e picada
  • 2 cenouras em rodelas
  • Sal à gosto

preparo

  1. Em uma panela, aqueça o óleo
  2. Coloque a carne e não mexa pra não soltar água
  3. Vá virando conforme for fritando e formando uma casquinha
  4. Coloque água aos poucos
  5. Acrescente o caldo de carne, o alho e a cebola
  6. Adicione mais um pouquinho de água e deixe ferver
  7. Quando formar um caldo grosso, e a carne estiver macia, adicione a batata e a cenoura
  8. Deixe a batata e cenoura cozinhando
  9. Se necessário, adicione sal.

Espero que gostem!!!!


Vc no Cnc!

Olha só, novidade aqui no Cnc!

Quem reproduzir as receitas que postamos aqui no Site, pode nos enviar através do e-mail contato[arroba]conversanacozinha.com uma foto e um breve relato sobre a receita, que nós divulgaremos aqui na coluna Vc no Cnc!

E já temos a primeira foto!

Batata Expressa da Stephanie Frasson

http://conversanacozinha.com/2011/02/batata-expressa/

Não me aguentei, e fiz de novo! rs

Aaai, isso é muito bom, menina! hahah

Eu moro sozinha, então, praticidade é tudo!

Dessa vez, tirei fotos (algumas embaçadas por causa da fumaça da panela.. rs)

OBS: Arroz grudadinho pq é japonês! rs

Tá esperando o quê? Me manda a sua foto você também!

Ps.: Me deu fome, muita fome!


Doce…

Doce, ô palavrinha doce!

Que mulher não se joga aos seus pés, que criança não os tem na memória, que namorada que não pensa em você como agrado, que desesperado não encontra alívio no seu peito, que vó que não se parece com o seu efeito: doce…

Abraço automático.

Doce que te quero doce, pra minha vida ser mais doce, como doce de bata doce…

Fiquei maluca? Não exatamente, mas já dei as dicas da aventura de hoje:

Batata doce? Não, mas é doce, como nunca antes doce tratado nesta coluna:

Bolo de Cenoura, pra começar a semana com mais carinho e amor, o mundo precisa.  Quem pode fazer isso melhor do que um doce? Um bolo doce, de cenoura, com calda de chocolate!

Se não dá ainda pra mudar o mundo e amar as pessoas como um todo, agente faz um doce e oferece pra quem ama, tem quase o mesmo efeito.

Chega de doce né! Vamos ao que interessa nesta coluna.

Fucei no fundo do meu ser, consequentemente no fundo da minha casa, encontrei uma receita antiiiiiiiga de bolo de cenoura, pensei:

O papel dessa receita tá até gasto pelo tempo, a letra é de uma mulher jovem e casada recentemente (na época em que o papel também era recente). A letra, sim, é da minha mamãe.

É essa aqui, mesmo velhinha, (e inclusive mais velha que eu) é essa que vou encarar.

Dizem que doce é mais difícil de fazer, exige mais técnica, mas como tudo pra mim é novidade, a minha técnica vai ser à força de vontade e a cara de pau, técnica essa que de fato vem me ajudado bastante na cozinha, mais pra bem do que pra qualquer outra coisa.

Meu deus, como eu gosto de fazer doce, vamos lá de uma vez.

Ingredientes necessários para a massa do bolo:

  • 4 cenouras
  • 1 xícara de óleo
  • 3 ovos
  • 2 xícaras de farinha de trigo
  • 2 xícaras de açúcar
  • 1 colher (de sopa) de fermento em pó

No liquidificador bater as cenouras (que aprendemos a escolher e descascar no post passado), o óleo e os ovos (que por incrível que pareça ainda me sinto meio insegura para quebrá-los) até virar um creme, depois passe esse mesmo creme para uma tigela e misture aos poucos a farinha de trigo, o açúcar e o fermento em pó.

Dicas bacanas de quem não sabe:

É bem legal peneirar a farinha de trigo e, principalmente, o fermento em pó antes de acrescentá-los a receita.

Após tudo junto e misturado na tigela, unte uma forma (com margarina e farinha de trigo) para não grudar a massa do bolo, deposite a mistura nesta forma e mande ver no forno por cerca de 45 minutos.

Não tem jeito, toda vez que for fazer um bolo nessa vida vou lembrar-me da dona da letra da receita, minha mãe, dando-me a missão de untar a forma bem untada quando era criança, e eu era a pessoa que fazia isso melhor no mundo segundo ela,  também depois que o bolo ia para o forno, antes dela lavar a tigela, eu a lambia todinha com os dedos. Hoje não fiz isso, acho que não tem mais graça, mas adoraria ter um ajudante mirim para passar essa função. Deixa meu sobrinho vir pra cá na semana que vem. Nada tem mais gosto de infância do que um bolo recém saído do forno.

A cobertura

A parte que acho mais divertida, tá pensando o que? A cozinheira é inexperiente, mas a ousadia já vem de longa data.

Ingredientes

  • 1 lata de leite condensado
  • 4 colheres (de sopa) de chocolate em pó
  • 1 colher (de sopa) de manteiga

Leve toda essa galera acima para panela em fogo baixo até virar uma massa pastosa. Parece brigadeiro, mas não é, o ideal é ficar com o gosto e com o aspecto, mas não com a consistência. Mexa, quando começar a endurecer, desligue o fogo.

Depois de toda esta saga, deixe o bolo pós assado esfriar, este necessita estar mais frio para ser desinformando com toda aquela classe dos programas de culinária. (dica da mamãe agente não joga fora nunca).

Acrescente a calda (que ficou incrível por sinal).

E…

Fim…

Será minha aptidão maior para fazer doces?

Cenas dos próximos capítulos, epopéias, desastres e mais algumas boas experiências.

Obs: sempre tenho vergonha das fotos das coisas que preparo, pois o meu maior desafio é fazer ficar bom, bonito é outra parada. Mas até que meu bolinho ficou fotogênico!