O Pudim mais complicado do mundo…

Nada mais gostoso para se fazer no frio, entre outras coisas é claro, do que dormir e comer um docinho. E eu já começo este post fazendo um desabafo:

O que vou fazer hoje antes eu achava que era impossível, dificílimo, intransponível para o cinema e na verdade era só um grande desinteresse meu porque na realidade é super fácil. Realizar com sucesso é outra história, mas que é fácil, é fácil.

Este doce é gelado, mas desde quando doce tem época de ser frio ou quente? Doce vai sempre bem com tudo, é tipo um vestido ou um sapato preto e eu começo o preparo deste da seguinte forma:

Um liquidificador

E dentro dele três ovos com gemas e claras

Uma lata de leite condensado

Pegue a lata do leite condensado e coloque duas medidas de leite

Já sacaram que doce que é?

Uma dica que acredito ser bacana, quanto mais se bate essa mistura no liquidificador, menos com cheiro de ovo fica, isso para mim é importante porque se não ficar bonito pelo menos não fica mal cheiroso…

Feito o passo de cima vamos agora para a calda do nosso Pudim de Leite Condensado.

Em uma forma especial coloque uma camada de açúcar para derreter tipo assim e depois leve ao fogo baixo.

As batatas fritas do lado são meu almoço tá, não tem nada a ver com o prato.

Mexa a calda até ficar assim:

Depois acrescente a mistura do liquidificador à forma e depois coloque esta forma para cozinhar em uma panela com água já fervendo, isso mesmo, coloque a forma para cozinhar entre 1h ou 1:30, o lance é passado este período espetar o pudim com um garfo para ver se o garfo sai limpo, isto é um sinal de que ele está pronto no sentido de que não precisa ser mais cozido, só colocado para esfriar para assim ser desenformado.

Aproveite este tempo para lamber a lata de leite condensado. (uma vez que se é aprendiz, algumas manias demoram a sair de moda).

Depois deste tempão todo de espera é só desenformar, ou seja, a parte mais decisiva da sua vida na hora de fazer o pudim e:

Pronto…

Achei que o da minha mãe costuma ficar mais durinho, mas mesmo assim está uma delícia e o melhor de tudo: saiu inteirinho. Minha mãe deu nota 10, vejam só, a cada vez que faço um prato novo o mundo se abre para mim e olha quem também aprovou o meu pudim:

Prova maior de ficou bom não tem né! Até a próxima.

 


Doce…

Doce, ô palavrinha doce!

Que mulher não se joga aos seus pés, que criança não os tem na memória, que namorada que não pensa em você como agrado, que desesperado não encontra alívio no seu peito, que vó que não se parece com o seu efeito: doce…

Abraço automático.

Doce que te quero doce, pra minha vida ser mais doce, como doce de bata doce…

Fiquei maluca? Não exatamente, mas já dei as dicas da aventura de hoje:

Batata doce? Não, mas é doce, como nunca antes doce tratado nesta coluna:

Bolo de Cenoura, pra começar a semana com mais carinho e amor, o mundo precisa.  Quem pode fazer isso melhor do que um doce? Um bolo doce, de cenoura, com calda de chocolate!

Se não dá ainda pra mudar o mundo e amar as pessoas como um todo, agente faz um doce e oferece pra quem ama, tem quase o mesmo efeito.

Chega de doce né! Vamos ao que interessa nesta coluna.

Fucei no fundo do meu ser, consequentemente no fundo da minha casa, encontrei uma receita antiiiiiiiga de bolo de cenoura, pensei:

O papel dessa receita tá até gasto pelo tempo, a letra é de uma mulher jovem e casada recentemente (na época em que o papel também era recente). A letra, sim, é da minha mamãe.

É essa aqui, mesmo velhinha, (e inclusive mais velha que eu) é essa que vou encarar.

Dizem que doce é mais difícil de fazer, exige mais técnica, mas como tudo pra mim é novidade, a minha técnica vai ser à força de vontade e a cara de pau, técnica essa que de fato vem me ajudado bastante na cozinha, mais pra bem do que pra qualquer outra coisa.

Meu deus, como eu gosto de fazer doce, vamos lá de uma vez.

Ingredientes necessários para a massa do bolo:

  • 4 cenouras
  • 1 xícara de óleo
  • 3 ovos
  • 2 xícaras de farinha de trigo
  • 2 xícaras de açúcar
  • 1 colher (de sopa) de fermento em pó

No liquidificador bater as cenouras (que aprendemos a escolher e descascar no post passado), o óleo e os ovos (que por incrível que pareça ainda me sinto meio insegura para quebrá-los) até virar um creme, depois passe esse mesmo creme para uma tigela e misture aos poucos a farinha de trigo, o açúcar e o fermento em pó.

Dicas bacanas de quem não sabe:

É bem legal peneirar a farinha de trigo e, principalmente, o fermento em pó antes de acrescentá-los a receita.

Após tudo junto e misturado na tigela, unte uma forma (com margarina e farinha de trigo) para não grudar a massa do bolo, deposite a mistura nesta forma e mande ver no forno por cerca de 45 minutos.

Não tem jeito, toda vez que for fazer um bolo nessa vida vou lembrar-me da dona da letra da receita, minha mãe, dando-me a missão de untar a forma bem untada quando era criança, e eu era a pessoa que fazia isso melhor no mundo segundo ela,  também depois que o bolo ia para o forno, antes dela lavar a tigela, eu a lambia todinha com os dedos. Hoje não fiz isso, acho que não tem mais graça, mas adoraria ter um ajudante mirim para passar essa função. Deixa meu sobrinho vir pra cá na semana que vem. Nada tem mais gosto de infância do que um bolo recém saído do forno.

A cobertura

A parte que acho mais divertida, tá pensando o que? A cozinheira é inexperiente, mas a ousadia já vem de longa data.

Ingredientes

  • 1 lata de leite condensado
  • 4 colheres (de sopa) de chocolate em pó
  • 1 colher (de sopa) de manteiga

Leve toda essa galera acima para panela em fogo baixo até virar uma massa pastosa. Parece brigadeiro, mas não é, o ideal é ficar com o gosto e com o aspecto, mas não com a consistência. Mexa, quando começar a endurecer, desligue o fogo.

Depois de toda esta saga, deixe o bolo pós assado esfriar, este necessita estar mais frio para ser desinformando com toda aquela classe dos programas de culinária. (dica da mamãe agente não joga fora nunca).

Acrescente a calda (que ficou incrível por sinal).

E…

Fim…

Será minha aptidão maior para fazer doces?

Cenas dos próximos capítulos, epopéias, desastres e mais algumas boas experiências.

Obs: sempre tenho vergonha das fotos das coisas que preparo, pois o meu maior desafio é fazer ficar bom, bonito é outra parada. Mas até que meu bolinho ficou fotogênico!


Uma pitada de novos hábitos

Se você perguntar para qualquer brasileiro há mais de 3 meses em Dublin do que ele mais sente falta, pode apostar que a entre outras coisas aparecerá a resposta: Comidinha de casa, pastel, pão de queijo… isso sem falar nos produtos aos quais nós nos acostumamos como por exemplo: Achocolatado, Guaraná e a lista para alguns segue infinita.

Mas, Malu a comida daí é ruim? Comida caseira (bem feita) nunca é ruim ! No período em que estive encubada na Host Family (a família que me recebeu), dando os meus primeiros passos nessa nova vida pude vivenciar o paladar Irlandês, por que como toda boa Host, a minha me recebeu com um prato típico na Irlanda: Something with Potato (Alguma coisa com Batata).

Shepherds Pie - Fonte: Google Images

Shepherd’s Pie – Fonte: Google Images

A batata é a base da dieta Irlandesa, o prato em questão que me foi ofertado foi o famoso Shepherd’s Pie – que na verdade é uma receita inglesa, porém é muito bem apreciado e já inserido na cultura Irlandesa, cuja a receita pode ser facilmente encontrada em diversos sites de culinária e me parece até simples de fazer. Só pra constar, é muito bom ! A batata também é uma campeã de audiência no Brasil, então, não foi difícil gostar.

Mas a Irlanda não é diferente de outros países e portanto, não vive só disso. Todos os dias milhares de estudantes aterrisam por essas terras trazendo consigo a curiosidade pelo novo como também disposição para compartilhar a sua cultura, o que inclui obviamente seus hábitos alimentares.

Aqui vivem muitos Indianos, Coreanos, Chineses… Enfim, assim sendo o mercado também teve que se adaptar a esses consumidores e seu paladar. É bem comum por aqui encontrar pratos prontos com Curry, por exemplo. Há também pequenas mercearias com produtos de origem Polonesa, Italiana e acreditem, temos 3 representantes Brasileiras – foi  onde degustei depois de 3 meses o nosso maravilhoso Guaraná Antart… ! Comprei até biscoito de polvilho !!!! Estou namorando uma lata de farinha láctea.

Essas coisas para quem está longe de casa, dos amigos, da família, acaba virando quase que um carinho. Na lojinha brasileira situada próxima ao Templo Bar tem até Coxinha e Brigadeiro ! E há aqueles que foram além, como o Adão e sua feijoada, um dos mais clássicos programas que todo brasileiro aqui faz: Experimentar a Feijoada do Adão.

A importância da Feijoada do Adão para alguns se dá por que aqui não é comum as casas terem PANELA DE PRESSÃO, é possível fazer feijão? É ! Mas, você que visita esse site, já deve saber melhor do que eu que não é a mesma coisa !!! Então, aqui temos duas opções: Feijão de latinha (horrível, é doce !) ou horas sem fim do feijão cozinhando para não ter gosto de feijão. A importância dessa peça em nossa alimentação diária você acaba sentindo quando fica sem. Feijão como todos sabem tem ferro e é uma das melhores fontes desse nutriente, portanto a falta dele em alguns casos quando não se procura uma substituição adequada pode até gerar uma anemia !

Os supermercados

Mais acima eu disse que em função da nossa vinda para esse país, os supermercados tentaram se adaptar colocando a nossa disposição alguns produtos mais familiares. Quando eu entro na Dunnes por exemplo dou de cara com a Cuisine de France, onde encontro o bom e velho croissant. No Lidl é possível encontrar pães diversos, marcas diferentes de noodles e produtos mais populares. Agora o mais importante supermercado aqui chama-se Tesco. Esse tesco tem de tudo, a maior parte dos seus produtos é produzida por eles mesmos – e aqui vai o informe: Nunca ! Jamais ! EU DISSE NUNCA, você brasileiro, compre carne do Tesco. Comprei uma vez, peito de frango… ou melhor achei que era peito de frango, mas era CENOGRÁFICO, praticamente plástico !

Mas, há outras coisas que nos fazem felizes aqui. O saco de batata frita por exemplo custa 1 euro. Pote de Sorvete por 2 euros ! Meu novo vício aqui é uma tal baguete chamada Pão Gárlico! Põe no forno e hum…delícia !Uma pitada de novos hábitos

Provei do bom da Irlanda, sofri (e ainda sofro) com a alimentação inadequada, fiquei feliz com o preço das bobagens alimentares – o que mais falta? Falta a cozinha ! Aqui nós temos o básico: Freezer, Microondas, Torradeira – uma máquina de esquentar água que foi realmente uma coisa nova pra mim e o fogão pegadinha ! Como assim? Como liga? Quando eu cheguei ganhei 3 queimaduras para aprender a usar e me acostumar que o fogão não tem chamas (o da minha casa tem, por isso a relevância). Enfim, por último aqui fica a dica: Se precisar trazer qualquer aparelho ou mesmo levar algo daqui para Brasil que requeira tomada, é bom adquirir também um adaptador internacional – já que aqui se usa aquela tomada de 3 pontas.Uma pitada de novos hábitos

Essa semana ficamos assim, eu abri a porta da minha cozinha e relatei um pouco dos meus hábitos alimentares pelo Fazendão (apelido para Irlanda) e já que estamos falando de Irlanda, terra de grandes bandas como U2, The Cranberries, hoje vou deixa-los com a revelação musical daqui, conheçam a Imelda May.

http://www.youtube.com/watch?v=jxj5wlXY9No

Música pra superar perrengues alimentares, por que se o estômago não está saciado ao menos a alma está ! Até a próxima !


Cursos de Janeiro Chocoleste

PROGRAMAÇÃO DE JANEIRO 2011

faça seu agendamento pelo e-mail aulas@chocoleste.com.br , informando seu nome, telefone, data e horário do curso que deseja marcar.

Chocoleste
Rua Guaiaúna, 54
Penha – São Paulo – SP
Fone/Fax: (0xx11) 2296-3433
atendimento@chocoleste.com.br

de Segunda à Sexta das 8:30 às 18:30 hs
NOVO HORÁRIO Sábado das 8:30 às 14:00 hs

14/01Sexta9:30 às 12h Aula Grátis MAVALERIO. Inédita!! Especial de confeitaria. Bolo Choco Cookies decorado com fitas de chocolate envernizadas. Trazer 1 alimento não perecível. Prof. Silvia Branconaro. GRÁTIS
15/01 Sábado12 às 14h Aula Grátis HARALD. Prepare-se para a Páscoa! Aprenda a fazer Ovo de Páscoa tradicional, Ovo crocante, bombons simples, bombons recheados, embalagens, prazos de validade. Trazer 1 litro de leite de caixinha. Prof Zilda Sandrim GRÁTIS
17/01 Segunda14 às 16:30 Aula Grátis BEL. Chocolates para vender o ano todo a preços populares. Cavacas recheadas, mini pão de mel, barrinhas crocantes, pirulitos decorados. Faça e venda barato lucrando bastante!! Trazer um alimento não perecível.  Prof. Janir Fraga GRÁTIS
18/01 Terça9:30 às 12h Aula Promocional ALISPEC. Bolo Barbie Castelo de Diamante, recortado e todo trabalhado com bicos. Prof. Ana Lucia. R$ 3,00
18/01 Terça14 às 16:30h Aula Grátis CROMUS. Cesta chique de Páscoa, Cesta de Páscoa Summer, bandeja super criativa, aprenda a embalar ovos de páscoa e fazer laços de fita. Trazer 1 pacote bolacha maisena ou cream cracker. Prof. da Empresa GRÁTIS
19/01 Quarta14 às 16:30h Aula Promocional HARALD. Faça e Venda! Pão de mel. Duas receitas práticas e econômicas com 2 opções deliciosas de recheios. Técnica correta para banhar seu pão de mel sem desperdício  e sem rebarbas.  Prof. Zilda Sandrim R$ 3,00
20/01 Quinta14 às 16:30h Aula Grátis MARVI. Picolés recheados, Sorvete de Massa, sorvete crocante e com frutas, e geladinhos (sacolé/ juju). Faça e venda. Trazer um alimento não perecível. Prof. Fátima GRÁTIS
21/01 Sexta14 às 16:30h Aula Grátis BEL. Ovos de Páscoa trufas de vários sabores e bombons recheados Trazer 1 pacote de macarrão e molho de tomate.  Prof. Janir Fraga GRÁTIS

Uma Pitada de Rock’n Roll – Apresentação

Quando eu recebi o convite para escrever essa coluna, junto com a nova responsabilidade me foi pedida uma apresentação.

Então, aqui estou eu, Maria Luiza Medrado, Jornalista, 20 e poucos anos, popularmente conhecida por Malu. Uma capricorniana, natural da cidade de São Paulo, mas que atualmente mora no Mundo. Há 6 meses eu mudei para Dublin (Irlanda) em busca de autoconhecimento, shows de bandas que só eu e mais 3 gostam e claro ter a chance de voltar com muitas histórias pra contar.

Certo, e você leitor me pergunta, onde entra a Culinária, Malu? Decididamente as minhas habilidades na cozinha são limitadas. Eu sempre me restringi ao básico: Arrozinho branco (que não é incomum terminar queimado), salada de tomate, miojo e macarrão, minha maior conquista culinária dos últimos tempos foi acertar um ovo frito!

Um pequeno passo para um chefe de cozinha, um salto enorme na minha vida de intercambista precisando se virar ! Dada essa falta de variedade alimentar, eu recorro na maior parte das vezes ao fast food e comida pronta e graças a isso cheguei ao ponto que me abriu essa oportunidade de escrever periódicamente para esse site, dividindo com vocês um pouco dos hábitos alimentares dos Europeus.

Mas não é só isso, pouco a pouco vamos adicionando novos temperos a essa coluna e aqui eu preciso falar mais um pouco sobre a minha pessoa, eu tenho memória afetiva musical, ou seja, momentos, lugares, pessoas e por que não o simples ato de degustar algo saboroso acaba por me lembrar de uma canção ou me cria vontade de ouvir uma determinada música. Quem nunca botou o ipod pra funcionar enquanto esperou por aqueles 3 malditos infinitos minutos do Noodles? E para aqueles que já estão duvidando da minha capacidade de unir a fome com a vontade de rock’n roll, vamos nos ater a verdade dos fatos, afinal, você já viu Feijoada sem roda de Samba, Macarronada sem Tarantella? Viu só, é disso que se trata essa coluna, eu pretendo trazer as minhas impressões das tentativas alimentares aqui no velho continente, e tudo isso sempre acompanhada de um playlist bacana para guardar esses momentos.

Nem só do silvo da panela de pressão vive uma cozinha. Há outros sons… é só acompanhar !

Pra ler ouvindo: Girls Just Wanna Have Fun – Cyndi Lauper