Pizza de Liquidificador

Vamos começar dizendo que é tipo uma pizza, sabe como é né!

Fui buscar uma receita prática e rápida porque já era tarde (aqui no interior do ABC as pizzarias fecham por volta das 22:30h) e o frio tinha congelado o carro e as minhas pernas =O , assim não dava pra sair de casa.

Daí achei várias receitas bacanas de pizza de frigideira e tals, mas dava muito trabalho  pedia muitos ingredientes. Achei essas de liquidificador e a que me pareceu mais confiável eu encontrei no Panelaterapia!Pizza de Liquidificador

E como a maioria das receitas que rolam por aqui: fácil, fácil!

Primeiro liga o forno em temperatura alta.

Unta uma assadeira de pizza (ou a que você quiser) com bastante azeite. Bata no liquidificador 1 xícara de leite, 2 ovos, 1/3 xícara de óleo, 1 xícara de farinha de trigo, 1 colher (café) de sal, 1 colher (sopa) de fermento em pó (aquele de bolo).

Coloca essa massa na assadeira untada e leva ao forno por 15 minutos.

Depois de assada, espalhe 4 colheres de molho de tomate (usei aqueles prontos de sachê mesmo) pela massa e coloque a criatividade no recheio! O meu foi de Atum, Mussarela, Cebola, Tomate. Deixa mais 30 minutos no forno e pode servir! Fica meio torta, meio pizza, mas fica muito gostoso. Maridón aprovou!

Pizza de Liquidificador

Agora… eu prometi que traria receitas mais… digamos… saudáveis né? E essa não se encaixa tanto assim na Categoria, porém, tudo pode ficar mais saudável!

Substituições permitidas na receitas que não vão afetar o sabor!

  • Leite → Leite desnatado
  • Óleo  Óleo de Canola
  • Farinha de Trigo  1/2 xícara de farinha comum e 1/2 xícara de farinha integral
  • Recheio  Ahhhhhh! Sério! Coloca a criatividade e vem me contar, faz de abobrinha, rúcula, escarola, brócolis (eca!), etc… E vem me contar!!!


Charlotte de Pêssegos em Calda

Natal que se preze, tem que ter uma sobremesa bacana, né?!

E naquele dia que eu fiz o Peru, eu tinha que fazer o doce valer a pena também né! Pois bem, pesquisa, pesquisa, pesquisa… Achei essa receita de Charlotte!

Fui com a lista de compras ao super e pasmem! Não tinha biscoito champagne! Massss tinha meia caixa aqui em casa, resolvi arriscar!

Cheguei em casa e fui linda pra cozinha preparar a Charlotte (ou seria O charlotte? Como o nome é feminimo, com o com A).

Mas a loka aqui esqueceu um dos itens principais… a ricota! Ahhh como eu pudeeee?? Raiva de mim… Daí saí em busca de um receita de ricota, pra ver se rolava fazer em casa, achei! Mas adivinhem qual o ingrediente principal pra fazer queijo?

Pois é… esse dia foi realmente PUNK! Aqui em casa nós só usamos leite em pó, porque serve bem em todas as receitas e não estraga tão rápido, já que não temos o costume de beber leite diariamente…

A essa altura, vocês já devem estar pensando que não vai ter receita nenhuma… Mas tem… no fim tudo deu certo!

Então primeiro eu vou contar como fiz a ricota.

Ricota Caseira

Ferva 3 litros de leite, retire do fogo e acrescente o suco de 3 limões. Volte ao fogo e mexa por 1 minuto. Deixe descansar por 1 minuto fora do fogo e escorra. Eu escorri o meu em uma peneira bem fininha.

Daí vem a dúvida, pra mim, fazendo com o leite em pó, essa quantidade rendeu pouco mais de 300 gramas, então não sei se vale tanto a pena fazer ricota em casa, porém eu acho que com o leite lá da caixinha, deve render mais, vejam a receita original aqui! De qualquer forma, se você tiver uma emergência, como era o meu caso, daí vale a pena sim, pois o resultado foi muito bom!Charlotte de Pêssegos em Calda

Charlotte de Pêssegos em Calda

Forre a lateral de uma forma redonda, com fundo removível com biscoito champagne (metades). Reserve.

Bata no liquidificador 300 gramas de ricota (pode ser um pouco mais, aquela quantidade do mercado serve), 1 lata de leite condensado, 1 lata de creme de leite sem soro, 1 colher de sopa de suco de limão, 1/2 colher de sopa de raspas de limão e 1 envelope de gelatina sem sabor (hidratada, conforme manda a embalagem). Acrescente à essa mistura 1 xícara de pêssegos em calda picados. Despeje a mistura na forma e leve à geladeira por 3 horas.

Para decorar eu usei geléia de pêssego e o restante dos pêssegos fatiados. Fica mais gostoso se você escolher uma geléia que não seja tãoooo doce.

Se você preferir, pode trocar por outra fruta, tipo Morango.

E como eu disse, no fim deu tudo certo, mas tão certo que não sobrou nadica… Muito bom! Faça e não esquece de comentar!!!!


Bolo de Laranja com Glacê de Limão Siciliano

Hummmm é o som mais ouvido quando faço esse bolo! É daqueles que deixa a casa perfumada e a cozinheira com um sorriso no rosto.

Quer elogios? Faça o bolo!

Ele serve bem com café, com refri e até de sobremesa!

Eu já tinha feito muitos e muitos bolos de laranja, mas essa receita é deliciosa, cá entre nós, eu peguei ela lá do extinto Rainhas do Lar, que sempre foi meu guia quando não tinha certeza sobre alguma receita. Sempre eu dava uma passada por lá, porque era batata! Lá tudo sempre deu certo.

O glacê foi mais pelo lado do… “o que eu tenho que daria uma boa calda?” E agora virou receita de ouro, porque realmente ficou uma delícia!

Bolo de Laranja com Glacê de Limão SicilianoO Bolo

Comece pré-aquecendo o forno em temperatura alta, pode ser enquanto você prepara o bolo!

Unte e enfarinhe uma forma, dê preferência para forma com o furo no meio.

Bata no liquidificador, 2 laranjas com casca picadas (indo pela dica da Faby, lave as laranjas, corte as duas pontas, parta em 4 e retire aquele risco branco do meio e as sementes), 2 ovos, 2 xícaras de açúcar e 1 xícara de óleo. Bata por uns 3, 4 minutos, até não ver mais nenhum pedacinho da casca.

Em uma tigela grande, coloque a mistura que você bateu no liquidificador e acrescente aos poucos 2 xícaras de farinha de trigo e 1 colher de sopa de fermento químico. Misture com o auxílio de um fouet ou uma colher de pau.

Abaixe a temperatura do forno pra 230 graus, coloque a mistura na forma untada e leve ao forno por 40 minutos ou até passar no teste do palito.

Desenforme ainda quente. Faça furos em toda a superfície do bolo. Esprema 1/2 limão sicilano e espalhe sobre a superfície do bolo.

O Glacê

Misture bem a outra metade do limão siciliano, 1/2 lata de leite condensado, 1 e 1/2 xícara de açúcar de confeiteiro e raspas do limão. Espalhe sobre o bolo. Espere o bolo esfriar e o glacê endurecer um pouco.

Sirva e aguarde os elogios.

Faça, não se arrenda, tire uma foto, me envie e depois volte aqui pra contar o que você achou, tenho certeza que só serão boas histórias.

Beijo gente, até a próxima!


Caldo Verde do Marido!

Tô orgulhoso!! Fiz praticamente sozinho essa belezinha aí de cima!

Primeiro vamos ao meu histórico com essa maravilha culinária, nunca fui muito fã de sopas, não via tanta graça, até que um dia fomos a um festival de sopas num aniversário e além da variedade, a qualidade era excelente! Foi assim que descobri o caldo verde, que apesar do nome, não tem nenhuma verdura na sua preparação, ela só entra na montagem do prato.

Depois de ter provado, sempre falava pra esposa que queria mais! Até certo dia que fomos visitar a ‘mestra’ da esposa, minha sogra Roseli! Adivinhe o que ela tinha feito para comermos?! E o cozinheiro do festival que me desculpe, mas o dela é que era caldo verde!!!

Essa semana a sogrinha veio passar uns dias aqui, pois está com o braço quebrado. Estávamos pensando no que poderíamos almoçar, quando alguém fala as palavrinhas mágicas, caldo verde!

Como o know-how é da sogra e ela está impossibilitada, eu que fiquei responsável por fazer, com a supervisão da ‘mestra’. Bem, vamos logo para o que interessa!

  • 1,5kg a 2kg de batata
  • 2 cebolas médias
  • 6 dentes de alhos
  • 2 linguiças defumadas
  • Couve-manteiga a gosto
  • Bacon a gosto
  • Azeite a gosto
  • Sal a gosto
  • Muuuita água!

As quantidades de cada ingrediente são relativas, vai muito do gosto de cada um. Essas quantidades renderam cerca de 4 litros de caldo!!!

Descasquei a batata e pus para cozinhar com bastante àgua, no limite para não transbordar quando fervesse, coloque um pouco de sal na água.

Piquei as cebolas, esmaguei o alho, fatiei a linguiça bem fininha e fatiei 1/3 do bacon da foto abaixo. Caso você não seja preguiçoso como eu e comprou a couve sem já estar fatiada, fatie-a bem fininha.

Com um fio de azeite, fritei o bacon e o alho. Era para refogar a cebola junto, mas o tapado aqui esqueceu e ainda deixei o alho queimar… triste!

Enfim, quando está tudo fritinho e sem queimar, pegue um pouco da batata junto com água e jogue na panela para que o sabor incorpore bem. Após um minutinho, jogue tudo de volta às batatas.

Coloquei a linguiça para fritar com um fio de azeite e bati o caldo com ajuda do mixer, caso não tenha use o liquidificador. E bata bastante até ficar bem líquido.

Adicionei a linguiça e voilá! Está pronto o caldo!

Para a montagem, forre o prato com a couve e jogue o caldo por cima, que irá cozinhar a couve levemente mantendo uma leve ‘crocância’.

Ficou ‘marravilhoso’! Mandei 3 pratos para dentro!

 


Mousse de Gelatina

Andava com uma vontade maluca de comer um determinado doce que existia na minha memória, então, aproveitando a tpm e dando também seqüência a série de doces ridículos de se fazer e super deliciosos (como o pudim da semana passada), hoje farei para vocês um doce que nem sei o nome mas que muitos já devem conhecer pois é muito bom e MUITO SEM VERGONHA DE SE FAZER.

Com vocês:

Doce sem vergonha

Dissolva um pacote de gelatina de morango em 250 ml de água fervendo

Depois acrescente mais 250 ml só que agora de água fria ou gelada

Agora acrescente 1 lata de leite condensando,

1 lata de creme de leite com soro e tudo

Bata tudo no nosso amigo liquidificador

E:

Coloque na geladeira até endurecer.

Viram como é difícil??

Gente, acreditem, esse doce é tudo de bom, esses dias tinha ele como sobremesa no local onde trabalho e ele acabou rapidinho, comi me deliciando e pensando: gente! Muito bom, como será que se faz? Pelo que me lembro é fácil. Vivenciando esta experiência resolvi experimentar e tentar fazer mesmo sem uma receita pré-definida, olhando apenas os ingredientes no cardápio e conversando com a mãe de uma amiga.

Aconteceu algo de estranho no preparo, ele ficou bicamada, se é que essa palavra existe neste contexto, o do trabalho não tinha bicamada e o doce da minha memória também não. Bem, eu não sei nem o nome do doce que fiz então quem dirá o porque da bicamada…  Alguém me ajuda?

Como vocês viram, mesmo com a bicamada, ele é muito sem vergonha para se fazer, a única desculpa para não cozinhar só pode ser a preguiça ou às vezes a falta de grana para se comprar determinado ingrediente. Mais nada.