Gelatina Colorida

Gelatina ColoridaSabe aquele sabor que você sente e lembra da infância?

Essa sobremesa com toda certeza me traz esse sentimento! É bem difícil encontrar alguém que não goste e rende muito!

Eu resolvi fazer essa gelatina, porque eu precisava de uma sobremesa leve, pra acompanhar uma feijoada e caiu como uma luva!

Todo mundo gostou! E claro, eu amei, porque além de deliciosa, é super simples de fazer!

Anote!!

Prepare 5 gelatinas de cores diferentes, diminuindo a quantidade de água (200 ml quente e 150 ml gelada). Eu usei de Tutti-Frutti, Abacaxi, Limão, Uva e Cereja. Pra fazer mais rápido eu coloquei pra gelar no freezer, por 40 minutos.

Depois que as gelatinas ficarem firmes, corte em cubinhos e coloque em um recipiente bem grande. Reserve.

Bata no liquidificador 1 lata de leite condensado, 2 caixinhas de creme de leite (a marca que eu uso não tem soro, mas se tiver, tem que tirar) e 1 gelatina de morango, diluída em 250 ml de água fervente (dilua antes!!!).

Misture esse creme com as gelatinas picadas. Coloque na travessa que pretende servir (eu usei uma de pudim e depois desenformei). Leve para gelar (na geladeira), por pelo menos 3 horas!

Eu nunca consegui deixar os cubos de gelatina inteiros, quem tiver uma dica, pode me dar, porém eu nem acho que faz tanta diferença no visual!

Ah, quem quiser, pode trocar o sabor da gelatina do creme, pode até fazer com a gelatina sem sabor.


Charlotte de Pêssegos em Calda

Natal que se preze, tem que ter uma sobremesa bacana, né?!

E naquele dia que eu fiz o Peru, eu tinha que fazer o doce valer a pena também né! Pois bem, pesquisa, pesquisa, pesquisa… Achei essa receita de Charlotte!

Fui com a lista de compras ao super e pasmem! Não tinha biscoito champagne! Massss tinha meia caixa aqui em casa, resolvi arriscar!

Cheguei em casa e fui linda pra cozinha preparar a Charlotte (ou seria O charlotte? Como o nome é feminimo, com o com A).

Mas a loka aqui esqueceu um dos itens principais… a ricota! Ahhh como eu pudeeee?? Raiva de mim… Daí saí em busca de um receita de ricota, pra ver se rolava fazer em casa, achei! Mas adivinhem qual o ingrediente principal pra fazer queijo?

Pois é… esse dia foi realmente PUNK! Aqui em casa nós só usamos leite em pó, porque serve bem em todas as receitas e não estraga tão rápido, já que não temos o costume de beber leite diariamente…

A essa altura, vocês já devem estar pensando que não vai ter receita nenhuma… Mas tem… no fim tudo deu certo!

Então primeiro eu vou contar como fiz a ricota.

Ricota Caseira

Ferva 3 litros de leite, retire do fogo e acrescente o suco de 3 limões. Volte ao fogo e mexa por 1 minuto. Deixe descansar por 1 minuto fora do fogo e escorra. Eu escorri o meu em uma peneira bem fininha.

Daí vem a dúvida, pra mim, fazendo com o leite em pó, essa quantidade rendeu pouco mais de 300 gramas, então não sei se vale tanto a pena fazer ricota em casa, porém eu acho que com o leite lá da caixinha, deve render mais, vejam a receita original aqui! De qualquer forma, se você tiver uma emergência, como era o meu caso, daí vale a pena sim, pois o resultado foi muito bom!Charlotte de Pêssegos em Calda

Charlotte de Pêssegos em Calda

Forre a lateral de uma forma redonda, com fundo removível com biscoito champagne (metades). Reserve.

Bata no liquidificador 300 gramas de ricota (pode ser um pouco mais, aquela quantidade do mercado serve), 1 lata de leite condensado, 1 lata de creme de leite sem soro, 1 colher de sopa de suco de limão, 1/2 colher de sopa de raspas de limão e 1 envelope de gelatina sem sabor (hidratada, conforme manda a embalagem). Acrescente à essa mistura 1 xícara de pêssegos em calda picados. Despeje a mistura na forma e leve à geladeira por 3 horas.

Para decorar eu usei geléia de pêssego e o restante dos pêssegos fatiados. Fica mais gostoso se você escolher uma geléia que não seja tãoooo doce.

Se você preferir, pode trocar por outra fruta, tipo Morango.

E como eu disse, no fim deu tudo certo, mas tão certo que não sobrou nadica… Muito bom! Faça e não esquece de comentar!!!!


Mousse de Gelatina

Andava com uma vontade maluca de comer um determinado doce que existia na minha memória, então, aproveitando a tpm e dando também seqüência a série de doces ridículos de se fazer e super deliciosos (como o pudim da semana passada), hoje farei para vocês um doce que nem sei o nome mas que muitos já devem conhecer pois é muito bom e MUITO SEM VERGONHA DE SE FAZER.

Com vocês:

Doce sem vergonha

Dissolva um pacote de gelatina de morango em 250 ml de água fervendo

Depois acrescente mais 250 ml só que agora de água fria ou gelada

Agora acrescente 1 lata de leite condensando,

1 lata de creme de leite com soro e tudo

Bata tudo no nosso amigo liquidificador

E:

Coloque na geladeira até endurecer.

Viram como é difícil??

Gente, acreditem, esse doce é tudo de bom, esses dias tinha ele como sobremesa no local onde trabalho e ele acabou rapidinho, comi me deliciando e pensando: gente! Muito bom, como será que se faz? Pelo que me lembro é fácil. Vivenciando esta experiência resolvi experimentar e tentar fazer mesmo sem uma receita pré-definida, olhando apenas os ingredientes no cardápio e conversando com a mãe de uma amiga.

Aconteceu algo de estranho no preparo, ele ficou bicamada, se é que essa palavra existe neste contexto, o do trabalho não tinha bicamada e o doce da minha memória também não. Bem, eu não sei nem o nome do doce que fiz então quem dirá o porque da bicamada…  Alguém me ajuda?

Como vocês viram, mesmo com a bicamada, ele é muito sem vergonha para se fazer, a única desculpa para não cozinhar só pode ser a preguiça ou às vezes a falta de grana para se comprar determinado ingrediente. Mais nada.


Comida de Nerd – Gastronomia Molecular!

Continuando o assunto da última coluna, vou falar sobre nerdices na cozinha!

Imagine uma gelatina, com a mesma cara e consistência da gelatina comum, mas ao botar na boca percebe-se que ela é quente! Ao invés do tradiconal geladinho das gelatinas, essa é quente como um suflê!! Ou talvez você consiga imaginar chegar à um restaurante e pedir uma sopa de peixe e ao chegar na mesa o prato está cheio de pequenas bolinhas… que na boca se dissolvem e viram a deliciosa sopa que foi pedida!!!

Essa é a sopa de peixe!!

Coisas assim, só são possíveis por causa de uma recente técnica da alta gastronomia, a Gastronomia Molecular.

Até parece que um cozinheiro chamou o amigo nerd e cientista para um bate-papo na cozinha enquanto preparava algum prato e como todo bom nerd, o amigo ficou curioso e saber porque o bolo cresce no forno ou porque a carne ‘cozinha’ ao ficar muito tempo no suco de limão… e junto com o chef passou a estudar o porque das reações químicas da culinária e com isso aprender como aplicar a ciência na cozinha!

E foi mais ou menos isso que aconteceu, quando na década de 80, dois físicos começaram, um deles interessado em modernizar a cozinha, a fazer experimentos que resultaram nas bases da gastronomia molecular. E no começo da década de 90 o já renomado chef Ferran Adrià começou a utilizar a técnica em seus restaurantes e hoje é considerado o papa da técnica. Aqui no Brasil, um dos principais entusiastas da técnica é o premiado chef Alex Atala.

Uma cozinha preparada para a gastronomia molecular mais parece um laboratório do qualquer outra coisa! Além do conhecimento de como funciona o processo químico, a técnica utiliza diversos utensílios como seringas, tubos de ensaio e vários itens que antes só víamos em laboratórios. Fora o nitrogênio líquido, figurinha carimbada na cozinha molecular, faz tudo ficar parecendo o recanto de um cientista louco!

A técnica tem permitido criar pratos surpreendentes como citei, transformando a experiência da refeição em algo completamente novo e revelador. Para se ter uma idéia do que a cozinha molecular é capaz, o chef nipo-americano Jeff Ramsey (o cara das seringas lá em cima) serve no seu restaurante, um suspiro congelado em nitrogênio líquido que na primeira mordida faz sair ‘fumaça’ pelo nariz!!! Uma crítica gastronômica escreveu que agora, ir a um restaurante com este tipo de cozinha,  é como ir a uma exposição de arte ou ao cinema, onde muitas vezes você é completamente surpreendido pelo aquilo que encontra!

Enfim, definitivamente, a gastronomia molecular é comida de nerd, devido a sua intrínseca ligação com a ciência e não podemos esquecer foi criada por nerds!!

Fiquei com vontade de utilizar a técnica… será que consigo???