Carne na Cerveja – Fácil e Rápida!

Olá, pessoal como convidada me acho muito importante estar aqui escrevendo no site da Rafa, essa receita da CARNE NA CERVEJA, é muito prática e fácil de fazer, me foi ensinada por uma amiga, muito querida, da minha sogra Aurora, a Magda, ela é baixinha e muito falante, são amigas há muito tempo, brincaram juntas quando crianças, hoje é uma senhora que, está bastante doente. Estávamos em São Vicente, onde ela morou por muitos anos, quando me ensinou a receita que, passei para várias pessoas e sempre foi um sucesso!

 

Então lá vai a receita:

CARNE NA CERVEJA

  • 1 peça de maminha ( fraldinha ou peixinho)
  • 1 lata de cerveja escura
  • 1 medida da lata de água
  • 1 pacote de creme de cebola

Coloque tudo dentro da panela de pressão, quando começar ferver, abaixe o fogo e deixe cozinha de 20 a 30 minutos, desligue o fogo e deixe sair o vapor, depois abra a panela verifique se a carne está cozida, se necessário, cozinhe mais um pouco, se não, deixe o molho apurar, para ficar mais encorpado, se quiser fatie 200 g de cogumelos e coloquê-os no molho, sirva com arroz, ou purê de batatas, com as BATATAS EXPRESSAS da Rafa, ou ainda com batatas palhas, não podem esquecer de uma boa salada verde!

Valeu! beijos a todos, espero que façam e gostem, como diz a Rafa, me contem o que acharam! Inté!

 

 

 


Cerveja na Cozinha!

Sem dúvida nenhuma, minha bebida alcoólica preferida é CERVEJA. Não existe sensação melhor do que uma cerveja estupidamente gelada descendo pela garganta!

É a melhor pedida para acompanhar uma agradável conversa na cozinha!

Pra começar, fui dar uma pesquisada sobre o assunto e descobri que a cerveja nossa de cada dia é somente um sub-sub-tipo de cerveja, o tipo American Lager. Mas para chegar neste tipo, vamos descobrir o que vem antes.

Existe 2 tipos principais:

Ale – São as chamadas de alta fermentação, pois o fermento fica boiando no tanque durante a fermentação. São as cervejas mais antigas e mais consumidas na Europa e possuem sabores e aromas fortes e marcantes. Entre elas temos os tipos mais conhecidos:

  • Trigo – Muitas delas tem no nome o Weiss, como por exemplo a Bohemia Weiss, umas das mais famosas aqui no Brasil é a alemã Erdinger.
  • Porter/Stout – São cervejas escuras, com alto teor alcoólico e sua marca mais famosa é a Guinness. Elas possuem um sabor bem forte e frutado.
  • Ale – Abrange todos os outros tipo de alta fermentação, entre eles as mild (meio-amargas), bitter (amargas), pale ale (ale clara). É o tipo que mais possui variações.

Lager – São as de baixa fermentação, pois ficam armazenadas por semanas ou meses em baixas temperaturas. Ganhando um cor mais clara e bastante dioxido de carbono. Seus principais tipos:

  • Pale Lager – São as cervejas claras e refrescantes, é nessa categoria que estão as nossas cervejas mais comuns que apesar de terem o tipo Pilsen no rótulo, essa é a classificação brasileira, na classificação correta, elas são do tipo American Lagers. As Premiun, Light e Especiais, são variações da Pale Lager.
  • Dark Lager – São as cerjevas escuras mais encontradas no Brasil, os tipos Munich e Malzbier são os mais famosos.
  • Bock – As cervejarias brasileiras também já se aventuraram neste tipo, que possui uma coloração avermelhada e teor alcoólico mais alto.

E existem também outros tipos como Lambics, Trapistas, Abbey e muitas outras!! Lembrando que todas costumam ter vários sub-tipos, para se ter uma idéia a Bélgica se orgulha de ter mais de 365 tipos de cervejas, falam que lá você pode tomar um tipo diferente pra cada dia do ano! Quem me dera poder ficar um ano na Bélgica tomando cerveja todo dia!!!

Das poucas que experimentei a minha predileta são as de Trigo, mais especificamente a Erdinger, recomendo muito!

E você? Qual sua cerveja preferida?

Google Images

 

 


Dublin – A cidade dos Pubs

Vir a Dublin e nao desgustar da mais famosa cerveja do mundo, Uma pint de Guiness, é considerado quase um pecado mortal por aqui. Eu que não tenho gosto e nem apego por cerveja, em todas as ocasiões que fui a um pub com amigos tive que me virar entre uma coca cola ou um suco. Até que encontrei a melhor bebida alcoólica para pessoas como eu. Já ouviu falar da Kopparberg? É uma cidra e portanto de baixo teor alcoólico. O que tem de especial são os sabores: Pera, Maçã Uva e ela é tão docinha, tão docinha que todo cuidado é pouco, na terceira garrafinha você estará tão ou mais alcolizado que alguém que tomou apenas uma pint.

Há uma outra cidra chamada Bulmers que é uma bebida legitimamente Irish, também faz muito sucesso por aqui entre a turma do contra á cerveja.

Agora além da famosa Pint entre os alcoólatras anônimos de Dublin não pode faltar o velho e bom whisky irlandes para aquecer nesse inverno de temperaturas negativas.

Enfim, Dublin sobrevive do mito dos pubs e isso é a mais pura verdade. Os Irlandeses levam a sério o happy hour, as sextas-feiras e todas as comemorações que terminam em noitadas em pub muito a sério. Entre os brasileiros os pubs favoritos são: Diceys, Temple Bar e Fitzsimons. A Diceys é conhecida por concentrar a maior taxa de estrangeiros por metro quadrado e isso por que a pint custa apenas 2 euros enquanto em outros lugares não sairia por menos de 5 euros. O Temple Bar é o pub mais importante de Dublin, muitos artistas e estrangeiros passaram e passam por lá diariamente, sendo um bar que recebe muitos turistas é claro, a bebida é cara. Já o Fitzsimons é interessante por trazer sempre bandas que tocam covers de musicas famosas, deixando o clima do pub sempre animado.

Ontem eu fui parar em um pub chamado O’ Reillys que apesar de salgado o preço das bebidas também serve porção de camarão e franguinho frito, que é uma delícia! Isso sem falar que é muito animado, ou pelo menos é em dia de jogo. Eles tem um telão bacana e aqui na Irlanda apesar do futebol não ser o que é para nós brasileiros, eles acabam torcendo para times ingleses, e ai é a mesma coisa que para nós: Cerveja, Futebol e Pub (buteco).

E como pub e musica são duas coisas que não se separam, a minha dica dessa semana é a banda irlandesa The Divine Comedy e a música para esse post é At the Indie Disco.