Philly CheeseSteak

Se tem uma coisa que adoro é sanduíche! A esposa sempre me chamou de ‘besteirento’ porque eu queria comer só lanche quando saíamos. Ela me mostrou as maravilhas de comer uma boa comida de verdade, mas ainda tenho minha paixão pelas duas fatias de pão com um monte de coisa dentro!!

Assim, depois de ver o Jack/Tucano montar esse sanduba no canal dele, resolvi fazer também e mostrar aqui para vocês!

Philly cheese steakPrimeiro fatiei 1 pimentão de cada cor  (Vermelho, Verde, Amarelo)2 cebolas em meia rodela e 100g de champignon. Ralei 300g de provolone, e peguei 500g de contra-filet.

Uma dica legal que peguei na Cozinha de Jack foi cortar os bife bem grossos do contra-filet, na perpendicular, assim você consegue lascas bem finas. Acrescento aqui minha dica, deixe os bifes no congelador por 30 min. antes de cortar, pois ele fica mais firme e facilita bastante para cortar fininho.

Depois de tudo separado, vamos ao preparo! Basicamente são três etapas distintas, numa frigideira grande,coloque um pouco de azeite e jogue a cebola, deixe-a fritar por bastante tempo, até ela ficar bem dourada e macia, acrescente os pimentões e o champignon, quando os pimentões estiverem bem cozidos reserve.

A próxima etapa é a carne, ainda na mesma frigideira, coloque a carne e tempere-a com sal e pimenta a gosto. É importante utilizar a mesma panela, pois a carne pega um pouco do gosto do molho de pimentão que foi feito antes. Quando ela já estiver bem dourada, reserve!

Agora vamos para o queijo! Numa panela, misture 1 caixinha de creme de leite, equivale a meia lata e o provolone, leve ao fogo baixo e mexa até o queijo derreter totalmente e formar um creme bem homogêneo.

Pronto! Na montagem não tem segredo nenhum, utilize uma meia baguete ou um pão francês mesmo. Ponha na ordem carne, vegetais e queijo… aí é só mandar pra dentro!!


Uma pitada de novos hábitos

Se você perguntar para qualquer brasileiro há mais de 3 meses em Dublin do que ele mais sente falta, pode apostar que a entre outras coisas aparecerá a resposta: Comidinha de casa, pastel, pão de queijo… isso sem falar nos produtos aos quais nós nos acostumamos como por exemplo: Achocolatado, Guaraná e a lista para alguns segue infinita.

Mas, Malu a comida daí é ruim? Comida caseira (bem feita) nunca é ruim ! No período em que estive encubada na Host Family (a família que me recebeu), dando os meus primeiros passos nessa nova vida pude vivenciar o paladar Irlandês, por que como toda boa Host, a minha me recebeu com um prato típico na Irlanda: Something with Potato (Alguma coisa com Batata).

Shepherds Pie - Fonte: Google Images

Shepherd’s Pie – Fonte: Google Images

A batata é a base da dieta Irlandesa, o prato em questão que me foi ofertado foi o famoso Shepherd’s Pie – que na verdade é uma receita inglesa, porém é muito bem apreciado e já inserido na cultura Irlandesa, cuja a receita pode ser facilmente encontrada em diversos sites de culinária e me parece até simples de fazer. Só pra constar, é muito bom ! A batata também é uma campeã de audiência no Brasil, então, não foi difícil gostar.

Mas a Irlanda não é diferente de outros países e portanto, não vive só disso. Todos os dias milhares de estudantes aterrisam por essas terras trazendo consigo a curiosidade pelo novo como também disposição para compartilhar a sua cultura, o que inclui obviamente seus hábitos alimentares.

Aqui vivem muitos Indianos, Coreanos, Chineses… Enfim, assim sendo o mercado também teve que se adaptar a esses consumidores e seu paladar. É bem comum por aqui encontrar pratos prontos com Curry, por exemplo. Há também pequenas mercearias com produtos de origem Polonesa, Italiana e acreditem, temos 3 representantes Brasileiras – foi  onde degustei depois de 3 meses o nosso maravilhoso Guaraná Antart… ! Comprei até biscoito de polvilho !!!! Estou namorando uma lata de farinha láctea.

Essas coisas para quem está longe de casa, dos amigos, da família, acaba virando quase que um carinho. Na lojinha brasileira situada próxima ao Templo Bar tem até Coxinha e Brigadeiro ! E há aqueles que foram além, como o Adão e sua feijoada, um dos mais clássicos programas que todo brasileiro aqui faz: Experimentar a Feijoada do Adão.

A importância da Feijoada do Adão para alguns se dá por que aqui não é comum as casas terem PANELA DE PRESSÃO, é possível fazer feijão? É ! Mas, você que visita esse site, já deve saber melhor do que eu que não é a mesma coisa !!! Então, aqui temos duas opções: Feijão de latinha (horrível, é doce !) ou horas sem fim do feijão cozinhando para não ter gosto de feijão. A importância dessa peça em nossa alimentação diária você acaba sentindo quando fica sem. Feijão como todos sabem tem ferro e é uma das melhores fontes desse nutriente, portanto a falta dele em alguns casos quando não se procura uma substituição adequada pode até gerar uma anemia !

Os supermercados

Mais acima eu disse que em função da nossa vinda para esse país, os supermercados tentaram se adaptar colocando a nossa disposição alguns produtos mais familiares. Quando eu entro na Dunnes por exemplo dou de cara com a Cuisine de France, onde encontro o bom e velho croissant. No Lidl é possível encontrar pães diversos, marcas diferentes de noodles e produtos mais populares. Agora o mais importante supermercado aqui chama-se Tesco. Esse tesco tem de tudo, a maior parte dos seus produtos é produzida por eles mesmos – e aqui vai o informe: Nunca ! Jamais ! EU DISSE NUNCA, você brasileiro, compre carne do Tesco. Comprei uma vez, peito de frango… ou melhor achei que era peito de frango, mas era CENOGRÁFICO, praticamente plástico !

Mas, há outras coisas que nos fazem felizes aqui. O saco de batata frita por exemplo custa 1 euro. Pote de Sorvete por 2 euros ! Meu novo vício aqui é uma tal baguete chamada Pão Gárlico! Põe no forno e hum…delícia !Uma pitada de novos hábitos

Provei do bom da Irlanda, sofri (e ainda sofro) com a alimentação inadequada, fiquei feliz com o preço das bobagens alimentares – o que mais falta? Falta a cozinha ! Aqui nós temos o básico: Freezer, Microondas, Torradeira – uma máquina de esquentar água que foi realmente uma coisa nova pra mim e o fogão pegadinha ! Como assim? Como liga? Quando eu cheguei ganhei 3 queimaduras para aprender a usar e me acostumar que o fogão não tem chamas (o da minha casa tem, por isso a relevância). Enfim, por último aqui fica a dica: Se precisar trazer qualquer aparelho ou mesmo levar algo daqui para Brasil que requeira tomada, é bom adquirir também um adaptador internacional – já que aqui se usa aquela tomada de 3 pontas.Uma pitada de novos hábitos

Essa semana ficamos assim, eu abri a porta da minha cozinha e relatei um pouco dos meus hábitos alimentares pelo Fazendão (apelido para Irlanda) e já que estamos falando de Irlanda, terra de grandes bandas como U2, The Cranberries, hoje vou deixa-los com a revelação musical daqui, conheçam a Imelda May.

http://www.youtube.com/watch?v=jxj5wlXY9No

Música pra superar perrengues alimentares, por que se o estômago não está saciado ao menos a alma está ! Até a próxima !


Baguetes


Aí vai mais uma receita aprovadíssima…

Digamos que ela não é a mais simples… porém, depois de hoje nunca mais eu compro pão em padaria!!!

Aí vai…

Ingredientes:

  • 200 ml de água morna
  • 1/2 colher de sopa de açúcar
  • 1 colher de chá de sal
  • 2 e 1/2 xícaras de farinha de trigo (medida de 240 ml)
  • 1 e 1/2 colher de chá de fermento biológico (ou 15 grms de fermento fresco)
  • *** + 1 clara para pincelar e fubá para untar o tabuleiro***

Modo de fazer

Coloque os ingredientes na máquina, seguindo a ordem acima e selecione o ciclo amassar. A massa fica bem molinha, mas dá pra manusear se as mãos estiverem enfarinhadas.
Quando a máquina terminar de bater a massa (antes de começar o crescimento), enfarinhe as mãos e coloque a massa em um recipiente com um fio de óleo, role a massa pelo recipiente, para que o óleo cubra a massa (levemente).
Coloque o recipiente com a massa dentro do forno frio, com um copo de água quente dentro do forno.
Deixe crescer por 40 minutos.

Após o crescimento divida a massa em 4 partes e deixe descansar mais 5 minutos em cima de um tabuleiro enfarinhado.
Molde as baguetes e transfira para uma forma polvilhada com fubá.
Coloque novamente no forno frio, com o copo de água quente durante meia hora, para o segundo crescimento.

Retire do forno e pré-aqueça a 180 graus.

Pincele as baguetes com a clara(diluída em 1 colher de sopa de água) e leve ao forno por cerca de 25 minutos (ou até que estejam na cor desejada).

Aproveite e coma elas quentinhas.

*** Para congelar, asse sem deixar que elas corem muito, deixe esfriar e congele. Quando quiser comer, é só por no forno por 10 minutos, na temperatura média.

Ufa… é isso…

Não tem máquina de fazer pão? Clique aqui e veja como fazer sem ela!