Bolo de Laranja com Glacê de Limão Siciliano

Hummmm é o som mais ouvido quando faço esse bolo! É daqueles que deixa a casa perfumada e a cozinheira com um sorriso no rosto.

Quer elogios? Faça o bolo!

Ele serve bem com café, com refri e até de sobremesa!

Eu já tinha feito muitos e muitos bolos de laranja, mas essa receita é deliciosa, cá entre nós, eu peguei ela lá do extinto Rainhas do Lar, que sempre foi meu guia quando não tinha certeza sobre alguma receita. Sempre eu dava uma passada por lá, porque era batata! Lá tudo sempre deu certo.

O glacê foi mais pelo lado do… “o que eu tenho que daria uma boa calda?” E agora virou receita de ouro, porque realmente ficou uma delícia!

Bolo de Laranja com Glacê de Limão SicilianoO Bolo

Comece pré-aquecendo o forno em temperatura alta, pode ser enquanto você prepara o bolo!

Unte e enfarinhe uma forma, dê preferência para forma com o furo no meio.

Bata no liquidificador, 2 laranjas com casca picadas (indo pela dica da Faby, lave as laranjas, corte as duas pontas, parta em 4 e retire aquele risco branco do meio e as sementes), 2 ovos, 2 xícaras de açúcar e 1 xícara de óleo. Bata por uns 3, 4 minutos, até não ver mais nenhum pedacinho da casca.

Em uma tigela grande, coloque a mistura que você bateu no liquidificador e acrescente aos poucos 2 xícaras de farinha de trigo e 1 colher de sopa de fermento químico. Misture com o auxílio de um fouet ou uma colher de pau.

Abaixe a temperatura do forno pra 230 graus, coloque a mistura na forma untada e leve ao forno por 40 minutos ou até passar no teste do palito.

Desenforme ainda quente. Faça furos em toda a superfície do bolo. Esprema 1/2 limão sicilano e espalhe sobre a superfície do bolo.

O Glacê

Misture bem a outra metade do limão siciliano, 1/2 lata de leite condensado, 1 e 1/2 xícara de açúcar de confeiteiro e raspas do limão. Espalhe sobre o bolo. Espere o bolo esfriar e o glacê endurecer um pouco.

Sirva e aguarde os elogios.

Faça, não se arrenda, tire uma foto, me envie e depois volte aqui pra contar o que você achou, tenho certeza que só serão boas histórias.

Beijo gente, até a próxima!


Kremówka – O doce mais maravilhoso do mundo!

No começo de maio, no fim de semana do dia das Mães, eu e o marido resolvemos tirar uns dias de descanso e fomos conhecer Curitiba.

Sobre os passeios da viagem eu pretendo contar depois, mas o que mais me chamou atenção em todos os dias foi o Bosque do Papa.

O bosque foi inaugurado em 1980 para a visita que o Papa João Paulo II faria à Curitiba.

O lugar é lindo, extremamente bem cuidado, com algumas árvores exóticas em meio as várias Araucárias (um dos símbolos de Curitiba).

Mas o melhor fica na entrada principal do bosque, o Memorial da imigração Polonesa. Lá existem 7 casinhas que vieram de colônias polonesas. Uma das casinhas é uma lojinha de artesanatos e artigos tradicionais Poloneses. E foi lá que nós comemos esse doce maravilhoso.

A história do doce é mais ou menos assim:

Em 1999 o Papa João Paulo II foi na Polônia visitar sua cidade natal Wadovice. E diante da igreja onde ele foi batizado, ele começou a ler um discurso para os fiéis. No meio do discurso, ele jogou os papéis de lado e resolveu falar ao povo sobre as coisas que ele fazia quando morava lá. O Papa emocionou à todos enquanto recordava sua infância e juventude. Falou dos passeios que fazia nas montanhas, dos caminhos que percorria, apontava casas e ruas. Cada uma das lembranças era seguido de uma exclamação da platéia emocionada. Então ele lembrou de uma padaria que fazia as deliciosas Kremówkas que ele disse ser seu doce preferido e perguntou se ela ainda existia. O povo respondeu que não, porém que Kremówka lá não faltava.

E foi assim que a cidade de Wadovice ficou não só conhecida como a cidade natal do Papa João Paulo II, mas também como a capital das Kremówkas.

Lá em Curitiba, no Bosque do Papa, o doce está identificado como Kremufka, que pelo o que eu pesquisei é como se pronuncia o nome do doce.

Agora, se é Kremufka ou Kremówka eu não sei, o que eu sei é que o doce é maravilhoso. A massa folhada é levíssima, o creme de natas parece o céu. O açúcar de confeiteiro só melhora o que já é perfeito.

Agora estou à procura de algum lugar que venda esse doce e também estou em busca da receita, porque dei uma pesquisada e não encontrei nenhuma receita que pareça muito confiável.

Então essa é a minha dica, quem for à Curitiba, não deixe de visitar o bosque do Papa e comer esse doce. O local não é tão famoso como a Ópera de Arame ou o Jardim Botânico, porém foi o meu lugar preferido!