Sazón é Amor!

No dia 9/11/2011, aconteceu um evento incrível, para blogs de Culinária realizado pela Sazón! E nunca ficou tão claro pra mim esse efeito do “Amor”, como nesse dia!

Tudo foi pensando com tanto carinho, que fez com que eu me sentisse muito especial!

Começando pelo local! O evento foi realizado na Casa Electrolux, no piso superior, onde fica uma cozinha linda! A casa inteira é maravilhosa, lá você pode ver, testar e até comprar os produtos da Electrolux!

Quando subimos para a cozinha, tivemos um tempinho pra bater um papo, falar sobre os blogs, trocar dicas, muito bacana.

Depois começou a aula, que além das receitas maravilhosas, nos ensinou novas formas de usar o Sazón, tanto o tempero, quanto o caldo em pó! Eu, que já sou fã do produto, fiquei muito entusiasmada e confesso que desde a aula eu já utilizei várias dicas aqui em casa, aos poucos vou passando pra vocês!

As receitas que aprendemos foram:Sazón

BATATINHAS COM PATÊ DE SAZÓN®

Ingredientes

•   300 g de batatas-bolinha cozidas e cortadas em quatro partes
•   2 sachês de Tempero SAZÓN® Amarelo
•   1 colher (sopa) de manteiga sem sal
•   meia xícara (chá) de maionese (100 g)
•   1 colher (chá) de cebolinha-francesa picada

Modo de Preparo

Em um recipiente pequeno, coloque a batata e 1 sachê de Tempero SAZÓN®, e misture delicadamente.

Em uma frigideira, coloque a manteiga e leve em fogo alto para derreter. Junte a batata e salteie, aos

poucos, por 3 minutos, ou até dourar.

Escorra em papel-toalha e espete os pedaços de batata em palitos de dente.

Em uma tigela pequena, coloque a maionese, a cebolinha e o Tempero SAZÓN® restante, e misture até

que fique homogêneo.

Sirva acompanhando as batatas.

Rendimento: 6 porções

Tempo de preparo: 20 minutos

Dicas

1. Sirva o patê acompanhando torradas.

2. Substitua o Tempero SAZÓN® Amarelo pelo de sua preferência.

Continue lendo »


Peru de Natal, molhadinho!

Bom… apesar de eu achar o título um tanto sugestivo, vai ficar assim mesmo, quis ser direta 🙂

Dia desses, pelos supers da vida, eu vi numa promoção mara vários perus!!! Pensa R$4 o kilo!!! Na hora, meu instinto foi de trazer uns 15! (amo peru)

Mãããsss, como sempre, quando a esmola é demais… já sabe! Eles iam vencer todos no dia 13/11/11, daí comprei só um com a promessa de fazer em menos de 15 dias!

Chamei alguns Veeeeps e fiz um almoço prévio de Natal! Todo bonitinho! E o Peru, claro… Era a grande atração do almoço.

Tudo lindo, tudo maravilhoso… não sobrou peru nem pra marmita! (mentira! conseguimos desfiar uns pedacinhos e garantir o almoço do marido)

Daí eu lembrei que 90% das pessoas que eu conheço torcem o nariz pro penoso! Muita gente não come peru por não saber uns truquezinhos que deixam o peru super molhadinho, inclusive o peito! #frasesugestivamodeon

Aqui em casa, o peru é feito assim:

  • Descongele 48 horas antes de assar
  • Tire o saquinho de miúdos (tem gente que não lembra =O )
  • 24 horas antes, dê um re-temperada nele sem colocar sal, só temperos mesmo (alho, cebola, alecrim, vinagre, etc)
  • Quando for assar, na primeira hora o peru deve estar coberto com papel alumínio
  • Retire o papel alumínio depois da primeira hora e deixe o peru assando em forno médio
  • O pulo do gato! Depois que tirou o papel alumínio, pincele manteiga de boa qualidade sobre o peru a cada 15 minutos (durante 1 hora mais ou menos)… Não vou mentir, dá um trabalhão, mas vale muiiiiiito a pena e os elogios serão incríveis! O maior problema é que você vai ser a eleita pra assar o peru todos os anos!

Daí, seguindo essas dicas, seu peru vai ficar com essa cara aqui ó


Pimentão Recheado, de Mãe

No último Post eu falei sobre uma mulher que foi minha inspiração, minha Mãe, que não é só minha, mas tá valendo, é o nosso jeitinho lá em casa de falar… minha mãe, meu pai, meu irmão ou irmã!

Esse último mês foi bem difícil… perdemos meu Pai, que sempre foi uma pessoa maravilhosa. Mas junto com isso nos demos conta que temos que ficar mais unidos, afinal, a vida passa muito rápido e nunca se sabe o dia de amanhã…

Daí, depois disso tudo e do post, fiquei puxando pela memória, os pratos que minha mãe fazia e que eram meus preferidos.

Aqui no Blog, eu tento ensinar sempre pratos simples, alimentos para o dia-a-dia, isso já me deixou durante um bom tempo achando que por isso o blog jamais faria “sucesso”, não que eu precise disso, afinal, esse é o meu Blog, fico feliz com as visitas, porém ele é feito pra mim mesma! Mas no fim das contas, descobri que muita gente procura exatamente sobre o que falo por aqui… A tal comida do dia-a-dia.

E voltando… minha mãe sempre cozinhou muito bem, coisas simples, porém essas coisas simples, faziam uma enorme diferença… Ela faz o melhor arroz, o melhor feijão e tudo aquilo que se dedicar.

Tá, muito blábláblá, e receita que é bom?

Foi desses vários pensamentos que eu lembrei do pimentão recheado que ela faz. Eu chamei a receita de Pimentão Recheado de Mãe, porque hoje em dia eu sei que o “verdadeiro” pimentão recheado é bem diferente desse que vou passar a receita. Mas quem é que diz o que é “verdadeiro” nessa vida? Só a sua vontade! Vamos à receita!

Pimentão RecheadoLave bem 12 pimentões verdes de tamanho médio. Corte a tampa do pimentão e retire as sementes. Reserve (os pimentões e as tampas).

Em um refratário grande misture: 1kg de carnde moída, 1 cebola picadinha, 1 colher de sopa de alho picado, 1 tomate picadinho, 1/2 maço de cheiro-verde picadinho, Sal e Pimenta do Reino à gosto (eu usei 1 caldo de carne Sazón + 1 tempero Sazón Sabores do Sul + 2 colheres de sopa de Sal), 1 e 1/2 xícara de arroz cru e 1 colher de sopa de orégano.

Depois de misturar bem, recheie os pimentões, tampe (pra prender as tampas eu usei 1 palito de dente em cada um) e coloque-os lado a lado em uma assadeira grande e funda.

Dilua em 2 sachês de molho pronto, 2 caldos de carne em pó e espalhe sobre os pimentões. Complete com água até cobrir metade dos pimentões. Leve ao forno alto por 1 hora, cobertos com papel alumínio. Após a primeira hora, retire o papel alumínio e deixe mais meia-hora para reduzir a água.

Se você preferir pode reduzir facilmente essa receita pela metade.

Esse recheio serve também para abobrinha!

Mamãe com a Laura CardosoAgora que eu falei tanto dela, olha aí a minha Mamys, com a sua roupa de Chef! Toda feliz por ter visto uma atriz que ela tanto gosta! Pra Laura Cardoso ela fez um bolo de Fubá!

Espero que tenham gostado da receita! Deixe um comentário e diga o que achou!


No começo de tudo…

Fonte: Getty Images

Hoje posso dizer, sem modéstia nenhuma que sei cozinhar, não tenho grandes técnicas, nem invento grandes receitas, mas meu tempero é bom e costuma agradar aos que aqui vem comer… Mas nem sempre foi assim…

Durante um tempo bem longo da minha vida eu não sabia cozinhar absolutamente nada, coisa que na minha família, era um absurdo, afinal, “mulher tinha que saber cozinhar”. Minha mãe sempre trabalhou muito, muito mesmo. Ela tinha um comércio e trabalhava das 9 da matina até 11 da noite, isso quando o movimento era fraco, mas esse horário costumava se estender…

O pouco que eu sabia, aprendi com ela, que aliás, continua a ser a melhor cozinheira que conheço no mundo inteiro.

Então, minha mãe não cozinhava muito em casa, apenas nos raros domingo-sim-domingo-não que ela passava em casa e tinha que dividir o tempo entre cozinha, faxina e tentativa de descanso. Não era fácil.

Nos outros dias, tínhamos que dar um jeito de comer… E foi aí que eu comecei a aprender…

Saiu muito arroz queimado, muito feijão aguado, muito molho doce, muito bife sem sal…

E meus irmãos nem tentavam experimentar, coisa que devido meu histórico, não julgo muito…

Mas tinha alguém que sempre comia, nunca reclamava e se eu perguntasse se ficou bom, ele sempre dizia: “Tá bom, minha filha, tá bom!”

Meus pais são os responsáveis pelo meu maior prazer na vida… minha mãe por ter me mostrado o sabor que a comida deveria ter, meu pai por ter sido minha cobaia por muito tempo e talvez se eu não tivesse pra quem cozinhar, eu teria desistido!

E esse texto é em homenagem a ele, meu Pai! O melhor e maior coração do mundo inteiro!

Pai, te amo! Sempre! Olha por nós aí de cima…

Tá difícil… 🙁