Não me falaram sobre ser moderna…


Não me falaram sobre as conseqüências de ser moderna. Ou melhor, ou pior: não tive escolha. Já havia um padrão a ser seguido e o mínimo que eu poderia fazer era me enquadrar a ele.

Se ser feminina é ser delicada, ou sentir as coisas e agir com mais delicadeza, ou ainda o ato de acolher com amor, como cozinhar, e se cozinhar é uma terapia, uma arte e um ato feminino de sentir (não exclusivamente feminino é claro) então posso dizer que o mundo esta me apunhalando pelas costas, me cortando nas atitudes espontâneas, em especial, no ato de cozinhar.

Não tenho tempo de cozinhar, acabo comendo frio, faço congelado, assim mesmo, pago por isso, isso mesmo tá bom, aonde entra o meu momento de me encontrar comigo e de fazer os outros se encontrarem comigo? Quero mostrar à eles mas não tenho tempo de mostrar com tanta delicadeza, empenho e especialidade, só tenho o tempo de mostrar assim mesmo, pois não tenho tempo de mostrar diferente e do jeito que for tá bom porque, na melhor da hipóteses, eu fiz.

E aliás, hoje em dia ninguém faz nada, ou melhor, bem pouca gente faz alguma coisa, o mais comum e você comer o que alguém fez, você vestir ou usar, algo sempre que alguém fez e por sua vez ainda é comum uma máquina fazer o muito que essa pouca gente faz. Agora estou comendo o bolo de chocolate que alguém fez e que nem sei como e que nem foi pensando em mim, comi a pizza que todo mundo come que não é pensando pra ninguém em especial. Hoje em dia tudo é assim: pra todo mundo, sendo pra ninguém e de forma nada especial.

Não gosto de ser roubada no que é meu, meu tempo, o tempo é meu, IMAGINA O QUE SERIA DA MINHA VIDA SE MINHA MÃE NÃO TIVESSE TEMPO PARA COZINHAR PARA MIM? MINHA VIDA SERIA OUTRA, MINHA REALIDADE OUTRA, MINHAS LEMBRANÇAS, OUTRAS…

Meu tio, imagina se ele não tivesse tempo pra cozinhar naquela época, nem ia ser só a minha memória mas a memória de toda uma geração de primos que estaria prejudicada. Ok, é necessário se enquadrar nessa jogada com suas regras, o que realmente não entra na minha cabeça é todo mundo se ver prejudicado nas suas faculdades mais naturais e achar que isso é natural, que ser podado é natural, exigir o humano mais não dar espaço em nem se quer um segundo para este humano, não, isso não é normal.

Escrevo para desabafar para o mundo sobre a minha falta de tempo no mundo, mas acho que ninguém vai me ouvir no mundo, o mundo não está dando este tempo para ninguém. Eu quero cozinhar, marcar memórias, trabalhar o meu eu, mas tô sem tempo, o próprio tempo que era meu não é mais meu. Espero que isso seja superado, senão coitados dos que ficaram de ter a minha comida e o meu sabor na memória, serão os furtados da memória de hoje.

Mas semana que vem tem mais, há se tem, meus futuros lembradores de mim, esse esforço todos será para vocês, eu garanto.

Entre na Conversa!