2ª Tentativa – Arroz Branco


Depois de muitas piadas, apoio moral, verdades cruas, mentiras sinceras e conselhos amorosos estou de volta para tentar de novo o que tentei primeiro:

Arroz branco.

Parece piada? É piada mesmo. Minha maior falha, agora em uma tentativa de correção. O que era para ser simples foi minha maior dificuldade. É sempre assim, as coisas aparentemente mais simples são de fato as mais difíceis, partindo do ponto que o simples deve ser bem feito, e bem feito de fato, nisso não cabe o mais ou menos bem feito, porque é simples.

A essência do simples, essa minha busca nesta segunda tentativa da primeira tentativa.

Meus queridos amigos, farei uma confissão inédita nesta coluna e absolutamente particular:

Sei que tenho dificuldades, alguns receios e até pequenas inseguranças, pequenas hoje se compararmos com a cozinheira inexperiente que começou inclusive com a primeira tentativa deste post.

Loucura, peculiaridade, normalidade ou apenas falta de experiência, o fato é:

Se não estou bem ou ao menos tranqüila, não consigo cozinhar de maneira nenhuma.

Isso me preocupa, como cozinharei nesta vida com freqüência se só consigo realizar tal tarefa quando estou bem? E quando não estiver bem? Passo fome? As pessoas que dependerem de mim passarão fome? O que seria da minha mamãe se ela fosse como eu? Ou melhor, o que seria de nós (tenho pai e irmãos)? Total dependentes dela…

Bem fora tudo isso, hoje estou bem e muito tranqüila, comecei refogando três dentes de alho com três colheres de óleo, tudo no fogo baixo, assim prefiro, para não queimar tudo de novo e já cometer uma falha irreversível no primeiro passo.

Depois fritei o arroz por quase 10 minutos, até ele ficar sequinho brilhante e meio transparente, e claro, super cheiroso.

Acrescentei água já quente (o dobro da quantidade do arroz), sal e quando o arroz começou a cozinhar diminui o fogo e só desliguei e considerei o arroz pronto quando este estava sequinho, com a textura de minha preferência e sem água no fundo. Não é pra mexer no arroz de jeito nenhum, verifica-se se ele esta seco com um garfo e com o maior cuidado fazendo um buraquinho no fundo.

Estou sendo incisava nesta questão de não mexer o arroz enquanto este cozinha, pois foi minha segunda falha irreversível já no segundo passo da minha primeira tentativa.

Pronto, em 20 minutos este já estava pronto, e eu com uma sensação estranha de que ainda não peguei o que é simples.

É gente, fazer eu fiz, ficou bem melhor, mas acho que ainda não sei fazer.

Como pode isso? Não sei. Ele tá bom, branquinho, mas acho que ainda falta algo para que eu entenda.

Bem, dizem que o simples agente trabalha a vida inteira, o mais difícil de se perceber e o essencial para  se viver.

Minha vida esta em processo de arroz branco.

Agora entendi.

Ps.: Lembra como ficou a primeira tentativa? Não? Olha aqui!


Entre na Conversa!


5 comentários para “2ª Tentativa – Arroz Branco

  1. Ah, Ju.Não seja tão crítica. Seu arroz parece ter ficado muito bom. Sério, não é pra agradar, não!! Eu gosto de arroz exatamente assim!!! *-* Que fomeeee.Beijo!

  2. Olá Juliana,Arroz não é tão simples mesmo né? Ainda mais pra mim, que sempre comi ou fiz arroz japonês (naquelas panelas elétricas q nao tem segredo)Hoje namoro (há 9 anos) com um brasileiro e por isso aprendi a fazer arroz branco tb.Compartilho a receita com que aprendi (fonte: site sabores ajinomoto),  mas mais que isso a dica fundamental (acho)O arroz nao pode ser mexido antes de secar e antes do fogo ser desligado… isso pq aqueles buraquinhos que se formam fazem com que a água evapore e evita q o fundo do arroz queime. Se misturamos antes do arroz secar os furinhos somem, a água nao evapora… o fundo queima e pior, o arroz fica empapado.Pode ser q nao tenha nada ver isso, mas depois q comecei a usar a receita e parei de mexer o arroz antes dele secar… meu arroz passou a dar certo. Qdo ele está seco, cozido aí sim eu mexo pra ficar bem soltinho. 

    Ingredientes
    1 e meia colher (sopa) de óleo
    1 xícara (chá) de arroz 1 sachê de Tempero SAZÓN® Branco
    meia colher (chá) de sal
    2 xícaras (chá) de água fervente (400 ml)

    Modo de Preparo
    Em uma panela média, aqueça o óleo em fogo alto e refogue o alho, a cebola, o arroz até ficar totalmente envolvido. Junte o tempero Sazón e o sal, e frite por 2 minutos. Acrescente a água e deixe cozinhar com a panela semitampada, em fogo baixo, por cerca de 15 minutos, ou até secar.
    espero que dê certo seu próximo arroz.bj, Eli (www.comiporai.com)

  3. Galera, esquece o sazon, isso tem uma quantidade de sal imenssuravel sem falarno mal que faz, o arroz fica branco de acordo com o tempo que vc deixa o tempero dourar…Ju, primeiro vc cobreo arroz com a água e vai acrescentando aos pouquinhos senão corre o risco de virar papa ou unidos venceremos…Não sei se tem é verdade mais eu tenho o costume de fritar bem o arroz no oleo e no tempero, sei lá pra mim isso que não deixa ele grudar.Bjokas

  4. Na verdade não é nem o sal, e sim o sódio! Que realmente faz mal, porém, 1 saquinho de sazon não faz mal! Vc não vai comer a panela de arroz inteira sozinha e de uma vez, tudo bem, porque será dividido em várias porções e pra várias pessoas!
    Claro que temperos naturais são muito mais saudáveis, mas sazon tem um sabor delicioso e compensa!

Comments are closed.